19°C 33°C
Independência, CE
Publicidade
Anúncio

Em paralisação por reajuste salarial, professores de Fortaleza iniciam semana de protestos

Nesta segunda, os profissionais realizam uma marcha da Coordenadoria de Gestão de Pessoas (Cogep) até a Secretaria Municipal de Educação

05/02/2024 às 13h08 Atualizada em 05/02/2024 às 13h12
Por: Redação Fonte: Opinião CE
Compartilhe:
Em paralisação por reajuste salarial, professores de Fortaleza iniciam semana de protestos

Os professores da rede municipal de Fortaleza deram continuidade, nesta segunda-feira (5), à paralisação da categoria em busca de acordo salarial com a Prefeitura. Após a rodada de negociação da última sexta-feira (2), quando a gestão municipal propôs um reajuste de, segundo o Sindicato União dos Trabalhadores em Educação de Fortaleza (Sindiute), 4,62%, os profissionais da educação decidiram em assembleia continuar o movimento e manter a pressão junto ao prefeito José Sarto (PDT). A gestão municipal, por sua vez, afirma que propôs uma atualização salarial de 10,374%.

 

Nesta segunda, os profissionais realizam uma marcha da Coordenadoria de Gestão de Pessoas (Cogep) até a Secretaria Municipal de Educação. Os professores reivindicam um reajuste salarial linear de 10,09%, elevando o piso para R$ 4.580,57, dentre outras demandas. O valor inclui o índice de 3,62% referente a 2024 e outros 7,64%, pendente desde 2017 segundo a categoria.

 

Conforme o Sindiute, a Prefeitura propôs reajuste inicial de 3,62% (retroativo a janeiro); um adicional de 0,965% ao percentual, elevando-o para 4,62% a partir de junho. Além disso, a proposição do Município previa a incorporação de 5,5% da regência de classe, benefício que equivale hoje a uma gratificação de 20% do salário. Com a proposta, o novo percentual da regência passaria a ser de 14,5%. Diante desta realidade, a categoria argumenta que parte de uma gratificação já recebida e acrescida dentro da proposta de reajuste não significa um reajuste maior, como divulgou a gestão.

 

Além do aumento salarial, os trabalhadores demandam a inclusão dos funcionários de escola no Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS) da Educação, além da aplicação da CLT para os professores substitutos e a realização de concursos públicos para professores, técnicos, supervisores e orientadores. Com isso, novas ações estão previstas para esta semana. Na terça-feira (6), novo protesto deve ocorrer na sede da Câmara Municipal de Fortaleza (CMFor) para cobrar a recriação dos cargos de técnicos; a revogação da lei que retirou dos novos professores o direito à licença-prêmio e anuênio; e a elevação do teto de contribuição dos aposentados.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Independência, CE
27°
Tempo limpo

Mín. 19° Máx. 33°

27° Sensação
2.16km/h Vento
37% Umidade
0% (0mm) Chance de chuva
05h51 Nascer do sol
05h41 Pôr do sol
Seg 33° 21°
Ter 33° 19°
Qua 34° 18°
Qui 33° 19°
Sex 34° 20°
Atualizado às 18h02
Publicidade
Anúncio
Publicidade
Anúncio
Economia
Dólar
R$ 5,43 +0,00%
Euro
R$ 5,93 +0,00%
Peso Argentino
R$ 0,01 +0,05%
Bitcoin
R$ 351,917,44 +6,16%
Ibovespa
128,896,98 pts 0.47%
Publicidade
Anúncio
Publicidade
Anúncio
Publicidade
Anúncio
Publicidade
Anúncio
Lenium - Criar site de notícias